10 passos para fazer um plano de negócios que funciona (mesmo)

Postado em 22/03/2017

10 passos para fazer um plano de negócios que funciona (mesmo)

Dicas para elaborar um plano de negócios realista

 

Planos de negócios vêm sofrendo diversas críticas nos últimos anos. Alguns autores falam da “morte do plano de negócios”, sob o argumento de que alguns investidores não leem planos de negócios porque não são objetivos. Questionam a sua utilidade, uma vez que são estáticos, prolixos e não refletem a realidade na maior parte das vezes.

As teorias atuais em empreendedorismo remetem diretamente a ferramentas como Lean Startup, Lean Canvas, Business Model Canvas, entre outras.

 

Por que fazer um plano de negócios?

Mas, ainda que no início do negócio a preocupação seja validar a ideia-oportunidade utilizando as ferramentas acima, depois de um certo tempo o plano de negócios se faz necessário para validar as premissas assumidas.

Em outras palavras: o plano de negócios serve para embasar e dar suporte à ideia e à oportunidade desenvolvidas. É o que chamamos de “mapa previsto do caminho”. Ele não garantirá lucro ou sucesso, mas irá identificar e prever ações que controlem os riscos e problemas inerentes ao negócio, trazendo mais conhecimento e profundidade ao modelo de negócio desenvolvido.

Planos de negócios também são utilizados para obter recursos de investidores, que boa parte das vezes não conhecem o negócio/mercado em questão. Ele mostra que, além de uma ideia interessante ou supostamente original, foi desenvolvido um trabalho sobre o mercado, produto ou serviço por parte do empreendedor.

 

Então, como fazer um plano de negócios realista?

A elaboração do plano de negócios deve preceder a execução. Depois de o empreendedor ter uma ideia que atenda um problema ou uma necessidade e verificar se essa oportunidade existe, há um momento em que é preciso avaliar o tamanho de investimento necessário, quais são as etapas de desenvolvimento do negócio, como será divulgado, como ele funcionará no dia a dia, como será o retorno do investimento, como o mercado opera etc.

O mais importante desse detalhamento é que, nesse processo, o empreendedor aprofunda muito o conhecimento de seu negócio, antecipando possíveis armadilhas, elementos-surpresa, erros e problemas, trazendo previsibilidade e antecipando as soluções. Por isso, seguem abaixo algumas dicas para tornar o seu plano de negócios realista:

1. Descubra se essa oportunidade e mercado existem de fato. E se você está realmente solucionando o problema de alguém.

2. Converse com as pessoas e teste suas hipóteses/premissas principais. Ouça. Pesquise. Valide. Mude. Revalide. Confirme. Quantas vezes forem necessárias.

3. Mapeie os seus concorrentes, diretos e indiretos. E mostre claramente qual é o diferencial do seu negócio em relação a eles.

4. Seja conservador. Sonhar é bom, mas não na elaboração de um plano de negócios. Lembre-se de que você está lidando com o dinheiro de um terceiro. E que ele irá investir somente o que for bem embasado e que reflita a realidade. Por exemplo: não tenha a pretensão de ter o mesmo crescimento do concorrente que foi o pioneiro na área ou ter o mesmo market share do líder do mercado.

5. Monte diversos cenários para suas projeções – sabendo que um empreendedor corre sempre o risco de fazer suposições que nunca se concretizem.

6. Mostre que o plano de negócios é executável. Sem mágicas, supostas parcerias ou cenários remotos; ou ainda sem fatores externos que o empreendedor não tem nenhum poder ou influência.

7. Trabalhe a sua rede de contatos em paralelo com o plano de negócios – conectando-se a fornecedores, clientes etc. por meio de ferramentas como Facebook, Instagram e LinkedIn.

8. Seja sucinto: vá sempre direto ao ponto. Descarte informações que não sejam essenciais.

9. Seja preciso: determine prazos para todas as etapas, e quem as executará.

10. Seja flexível: não tenha medo de modificar o seu plano de negócios! A cada dia, você descobrirá coisas novas sobre o mercado, produto ou serviço. E terá que fazer diversas atualizações ou mudanças de rota.

Lembre-se: o seu plano de negócios é um “ser vivo”. Deve estar sempre atualizado e em movimento, devendo refletir sempre essas descobertas e mudanças do processo de desenvolvimento. Caso contrário, só servirá para ser um retrato do momento exato que foi feito, tornando-se obsoleto e sem utilidade.

Adriana Miguel Ventura é professora de Empreendedorismo da EAESP-FGV e coordenadora da Feira de Empreendedorismo do Curso de Graduação de Administração de Empresas.

Fonte

Outras Notícias

 

Por que você deveria estabelecer metas para sua equipe
Postado em 21/02/2017

A importância de estabelecer metas para a sua equipe 
Escrito por Alexandre Rangel, especialista em gestão de pessoas

“Aquilo que não é medido, não pode ser acompanhado e, por conseguinte, não pode ser ...
leia mais »

8 dicas de linguagem corporal para aumentar a sua persuasão
Postado em 02/02/2017

 

1. Gestos de quem convence

São Paulo — Ser um bom vendedor não é uma competência valiosa apenas para quem trabalha na área comercial. Conseguir que os dem...
leia mais »

6 dicas para você manter o foco e evitar distrações
Postado em 31/01/2017

Por vezes é difícil se concentrar no trabalho. E, hoje em dia, na era dos smartphones, nossa atenção é facilmente desviada pelas inúmeras notificações diárias do WhatsApp, Facebook, entr...
leia mais »